Cirurgia de Estrabismo: Principais Dúvidas

Cirurgia de Estrabismo: Principais Dúvidas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O que é a cirurgia de estrabismo?

O estrabismo é uma condição ocular causada pela falta de alinhamento entre os olhos, a cirurgia tem como finalidade de corrigir os músculos que fazem o desalinhamento ocular ou mais conhecido como “mirar errado”. Podendo aparecer tanto em um grau leve quanto em um mais elevado, causando dificuldade para enxergar. Entre as possibilidades de tratamento há a opção cirúrgica que visa modificar a estrutura dos olhos para garantir o posicionamento correto. Normalmente este problema acomete mais em crianças, mas pode ocorrer também em adultos por diversos motivos.

Como funciona a cirurgia de estrabismo? 

A cirurgia tem como objetivo consertar o alinhamento incorreto dos olhos, contudo, ela mexe com a posição dos músculos. 

Dependendo de cada caso, pode acontecer de esse elemento ser fortalecido ou enfraquecido, de modo que possa garantir a focalização no ponto certo.

Assim, é feito um pequeno corte na membrana que recobre o olho para a identificação do músculo. Após isso, pode-se fazer o seu tensionamento para deixá-lo mais forte ou, posicioná-lo em outro lugar para que fique mais fraco, dependendo de cada caso.

A anestesia varia de acordo com o paciente, e com sua preferência.

Para os mais jovens, é comum optar pela anestesia geral pois é indicada para cirurgias maiores, enquanto adultos normalmente utilizam a anestesia local.

Quais os cuidados após a cirurgia de estrabismo?

  • O paciente não deve realizar esforço físico ou frequentar ambientes com água (piscina, sauna e mar) nos primeiro 20 dias após a cirurgia.
  • Aplicação de colírio de corticoide e antibióticos é necessária sob indicação do médico.

Quais suas indicações?

A cirurgia é indicada para todos os casos de desalinhamento ocular que prejudiquem a capacidade funcional e estética do paciente. Porém variam de acordo com a idade e com as necessidade do paciente, compostas por indicações, como a presença de diplopia persistente, binocularidade reduzida ou ameaçada.

Quais seus riscos?

Como qualquer intervenção cirúrgica, existem riscos, como:

  • Visão dupla;
  • Infecção do olho;
  • Sangramento ou diminuição da capacidade de enxergar.

Porém esses riscos são pouco comuns e podem ser ignorados caso o paciente siga adequadamente com todas as indicações do médico após a cirurgia.

Qual o tempo da cirurgia e da recuperação?

O tempo de cirurgia está relacionado à quantidade de músculos que é necessário abordar. Em média, a cirurgia leva entre vinte minutos a uma hora.

Recomenda-se repousar por uma semana e evitar esportes de contato por mais sete dias. Durante algumas semanas, o paciente pode enxergar embaçado, pois o cérebro e os olhos ainda precisam se acostumar com o novo alinhamento. Em até seis semanas os pontos se dissolvem.

A cirurgia dói?

Não, pois é aplicada anestesia, porém a sensação incômoda após a cirurgia, podendo durar alguns dias, semanas ou meses, assim dependendo do prognóstico de cada paciente. No pós-operatório, o paciente pode ter um certo desconforto e uma leve sensação de areia nos olhos. Alguns casos, pacientes relatam sentir dores ao mover os olhos, porém são receitados anti-inflamatórios e analgésicos.

Há outras opções de tratamento?

É possível utilizar óculos e lentes corretivas que podem “ensinar” os músculos a agir de forma adequada, ou até mesmo o uso de lentes,inclusive, muitas garantem um aspecto normal de visão enquanto são usadas. Além disso também é possível usar um tampão em um dos olhos, forçando assim o outro a direcionar corretamente. No entanto é uma opção mais efetiva para crianças menores, já que auxilia no desenvolvimento da área cerebral responsável pela visão (apenas acontece até os 7-8 anos de idade).

Quem pode fazer ?

Em geral, qualquer pessoa pode fazer, incluindo crianças e adolescentes. Pacientes mais jovens fazem a operação como forma de melhorar a visão, além de evitar problemas maiores, como questões à profundidade de visão. 

Já em adultos, e bem mais comum que o procedimento seja predominantemente estético, visando aumentar a autoestima e a qualidade de vida do paciente.

Contudo somente um oftalmologista pode dar a recomendação sobre a realização ou não desta etapa.  

É feita nos dois olhos ?

A escolha da realização do procedimento depende do caso apresentado por cada paciente. Alguns pacientes precisam ter os dois olhos manipulados mesmo que apenas um seja estrábico, para obter melhores resultados.

Nós da clínica IOA somos especialistas em Cirurgias de Estrabismo. Entre em contato conosco e agende sua consulta.

Rate this post