Como funciona a Cirurgia de Ceratocone

Como funciona a Cirurgia de Ceratocone
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O Ceratocone é uma doença não degenerativa e inflamatória da córnea. Sua evolução faz com que a estrutura da córnea afine e tenha sua curvatura modificada, garantindo-lhe uma forma de cone.

Acometendo uma em cada 10 mil pessoas, o ceratocone é mais comumente visto em pacientes cuja idade corresponde à fase da adolescência e mostra seu estágio mais grave quando o paciente atinge a terceira década de vida.

Seu sintoma consiste na percepção de múltiplas imagens fantasmas, conhecido como poliopia monocular. No caso dos pacientes que mesmo com os óculos ou as lentes, não há melhora na visão, o mais indicado é fazer a cirurgia.

Tipos de Cirurgia de Ceratocone

Conhecida como Cirurgia de Ceratocone, ela pode ser feita de duas maneiras: realizando o implante de Anel de Ferrara ou Crosslinking.

Anel de Ferrara

Também conhecido como Anel Intra- Estromal, o Anel de Ferrara é o implante de uma amostra de acrílico em formato de anel. É ele quem vai impedir a córnea de continuar se curvando e, assim, consiga estabilizar ou retardar o ceratocone. Mas essa modalidade é sugerida apenas em alguns casos:

Quando o ceratocone se apresentar entre os estágios leve e moderado, quando o uso de óculos não for eficiente, quando a córnea estiver transparente ou quando o astigmatismo estiver alto devido ao ceratocone.

Crosslinking

Se não o Anel de Ferrara, outra sugestão de tratamento é o Crosslinking. Essa modalidade se mostra menos invasiva que a dos anéis intra-estromais porque nela não ocorre nenhum implante.

Nela, ocorre a aplicação de gotas de colírio contendo riboflavina. Após a manipulação, o paciente é submetido ao contato de luz ultravioleta controlado por um tempo que dura de cinco a 10 minutos. Após a operação, uma lente terapêutica é colocada na cavidade ocular e mantida até o epitélio cicatrizar.

No caso do Crosslinking, esse procedimento é indicado apenas nos casos em que o ceratocone esteja em uma etapa leve ou moderada, quando o paciente apresenta algum tipo de intolerância às lentes de contato, astigmatismo alto em decorrência do ceratocone.

Outras indicações para o Crosslinking são para pacientes que não tenham conseguido frear o avanço da doença com o uso de óculos ou quando apresentar córnea transparente com pouca ou até sem cicatrizes ou estrias na região afetada.

Porém, vale ressaltar que tanto o Anel de Ferrara quanto o Crosslinking não são indicados nos casos em que o ceratocone estiver em estágio avançado, quando ele ocasionar uma opacidade corneana grave ou quando os pacientes apresentarem intolerância às lentes de forma rígida.

Para quem se submeter a esses processos operatórios, as dicas para o pós procedimento cirúrgico são não coçar os olhos, evitar ambientes sujos para prevenir possível inflamação, evitar atividades pesadas e que exijam muito do corpo.

Por fim, outra recomendação, mas não menos importante, é usar de forma correta os colírios e remédios receitados pelo médico.

Ceratocone é uma doença séria e mais severa até mesmo que os diferentes tipos de conjuntivite, por exemplo. Prestar atenção nos sintomas é primordial para fazer o tratamento correto e evitar que o diagnóstico evolua.

Diagnóstico de Ceratocone no IOA!

Percebemos no artigo que o ceratocone é tão perigoso aos nossos olhos, que devemos diagnosticá-lo de maneira precoce, se possível logo no início, durante a adolescência.

Para isso, os melhores profissionais devem realizar o procedimento, para que não haja prejuízos maiores à sua visão.

Portanto, fica claro que o melhor lugar é o IOA – Instituto de Olhos da Amazônia é o lugar ideal para fazer a sua consulta.

Quer saber mais? Entre em contato conosco!

Tem alguma dúvida? Entre em contato conosco.
WeCreativez WhatsApp Support
Unidade Shopping Metrópole
Unidade Shopping Metrópole
Longe
WeCreativez WhatsApp Support
Unidade Distrito Industrial
Unidade Distrito Industrial
Longe