Defeitos refrativos na infância

Defeitos refrativos na infância
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Defeitos refrativos são as doenças como miopia, hipermetropia ou astigmatismo, ou seja, aquelas que levam a uma visão deficiente devido à desfocagem dos objetos na retina.

Se esses defeitos não forem corrigidos, os seus efeitos são especialmente nocivos nas crianças, pois é durante os primeiros anos de vida que a visão se desenvolve.

Qualquer causa que leve à má visão de um ou ambos os olhos durante a infância, como erros refrativos, pode levar a um problema de “olho preguiçoso”.

Causas

O poder refrativo do olho é determinado por dois fatores principais:

  • A córnea e o cristalino: conferem capacidade convergente ao olho, pois os raios de luz, ao atravessar a córnea e o cristalino, convergem para focalizar o objeto na retina.
  • Comprimento axial: a distância ântero-posterior do globo ocular que resultará em maior ou menor necessidade de convergência dos raios de luz, dependendo se o globo ocular é mais longo (miopia) ou mais curto (visão ao longe).

O grau de miopia pode aumentar com o desenvolvimento da criança. Se o comprimento axial do olho aumentar, o grau da miopia aumentará.

Sinais 

Pais, professores ou cuidadores podem notar que a criança não enxerga com precisão observando alguns sinais:

  • Chega muito próxima a objetos para enxergá-los;
  • Se movimenta de forma desajeitada e frequentemente esbarra;
  • Não mostra interesse por seus brinquedos quando estão distantes.

Tratamento

Os defeitos refrativos podem ser corrigidos com lentes corretivas em óculos, lentes de contato ou até mesmo cirurgia refrativa.

A escolha de um ou outro método dependerá da idade da criança, do tipo de defeito e das necessidades do paciente. As opções são analisadas em conjunto com os pais, sendo a primeira escolha o uso de óculos.

Prevenção

Não existe prevenção para defeitos refrativos, mas é extremamente importante detectá-los precocemente. Para isso, é necessário diagnosticar o problema óptico através de um exame realizado pelo oftalmologista.

Para uma avaliação correta, a visão das crianças é explorada através da dilatação da pupila, que as impede de acomodar ou compensar parte do seu defeito óptico, identificando assim o grau das dioptrias existentes.

Exames oftalmológicos recomendados em crianças

Ao nascer é recomendado que o bebê passe por um pequeno check up para descartar patologias como glaucoma congênito, catarata congênita, malformações, tumores, estrabismo congênito ou ptose congênita.

A partir dos 3 anos de idade, poderá ser agendada a consulta com o oftalmologista, quando poderá ser realizado um exame completo dos olhos, é essencial para a avaliação:

  • Acuidade visual (olho preguiçoso)
  • Motilidade ocular (estrabismos)
  • Graduação com gotas
  • Fundo ocular

Dos 4 anos em diante, recomenda-se uma visita anual ao oftalmologista. Conforme já dissemos, é extremamente importante que essa revisão seja realizada, pois quando identificadas prematuramente, certas patologias têm maiores chances de cura ou retardo. 

E  lembre-se, suspeitando de qualquer alteração na visão de seus filhos, marque imediatamente uma consulta com um dos oftalmologistas do corpo clínico da IOA.

4.7/5 - (92 votes)