O que é a Retinopatia Solar?

O-que-e-a-Retinopatia-Solar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O Sol é uma das poucas coisas que vemos desde sempre em nossas vidas. Apesar da distância de 149.600.000 km da Terra, o seu brilho causa bons efeitos em toda a população. Muitas pessoas, por exemplo, amam ver o nascer do sol, enquanto outras sentem o mesmo quando ele se põe.

Além disso, muita gente vai à praia ou até mesmo ao quintal de casa para “pegar um bronze” que, claro, só acontece por conta do próprio Sol. Resumindo, não é à toa que, para a maioria das pessoas, os dias ensolarados são sinônimos de um dia alegre e/ ou muito bonito.

Porém, muitas vezes os perigos solares são muito subestimados. Na pele, por exemplo, ele pode causar queimaduras gravíssimas e até câncer.

E neste artigo, falaremos sobre um dos danos que o Sol pode causar aos nossos olhos: a Retinopatia Solar!

O que é a Retinopatia Solar?

A maculopatia ou retinopatia solar é considerada uma lesão foto-traumática que ocorre na mácula, ligada à retina. Ela é diagnosticada quando um indivíduo olha diretamente para o que chamamos de fonte de luz intensa.

Essa fonte pode ser a luz forte de um farol, de um holofote, refletor ou, no caso deste artigo, a luz do Sol, que é a fonte mais intensa existente, devido à potência dos raios UVA e UVB. A situação fica ainda pior quando há um eclipse, afinal os admiradores olham diretamente para ele.

No entanto, apesar de toda essa intensidade, as luzes de feixes de laser ou as geradas por um processo de soldagem, são ainda mais perigosas, pois danificam mais rapidamente.

O principal dano da Retinopatia Solar acontece, claro, na retina. E ela, por ser a parte do olho responsável pela formação de imagens, pode gerar pontos cegos e até a perda completa ou parcial da visão.

Como identificar a Retinopatia Solar?

Para diagnosticar a Retinopatia Solar em um paciente, o médico oftalmologista deve realizar o exame chamado de OCT (Tomografia de Coerência Óptica). A sua função, assim como em outros tipos de tomografias já conhecidas, é a de dar uma visão completa da área examinada.

Neste caso específico, o OCT é utilizado justamente para que se consiga observar a retina, área mais afetada pela retinopatia, como citado mais acima no artigo.

Como evitar a Retinopatia Solar?

Para evitar a Retinopatia Solar, basta tomar alguns cuidados que já são conhecidos por boa parte da população, como o simples uso dos óculos escuros mesmo em dias nublados e evitar olhar para o Sol por longos ou até mesmo curtos períodos.

Porém, no caso dos óculos, é importante saber que, apesar de seus benefícios clínicos, eles não possuem uma proteção de 100%. Portanto, evite olhar para o Sol mesmo que esteja os utilizando o acessório.

Como tratar a Retinopatia Solar?

Caso você não tenha tomado os cuidados necessários que foram citados acima, um tratamento pode ser necessário. Entretanto, ainda não existe tratamento conhecido para ela, tornando a situação ainda mais difícil, sejam os danos leves ou graves.

Há, no entanto, a possibilidade de desaparecimento da lesão em uma ou duas semanas. Por isso, é importante que sejam feitos exames regulares após o diagnóstico, visando saber a gravidade da Retinopatia Solar.

IOA – Instituto de Olhos da Amazônia

E falando em exames, você há de concordar que eles devem ser realizados em uma clínica confiável e que possui as melhores tecnologias possíveis, correto?

Por isso, conheça o IOA! Possuímos, além de equipamentos de ponta, os melhores profissionais para operá-los.

Portanto, entre em contato conosco e marque uma consulta imediatamente!