Principais dúvidas sobre o Glaucoma

Principais dúvidas sobre o Glaucoma
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Uma das principais causas de cegueira no mundo se deve a uma doença silenciosa, sem cura, que com frequência é diagnosticada quando já está em fase avançada: o glaucoma. 

Uma pesquisa levantada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que a doença atinge entre 6% e 7% das pessoas após os 70 anos. Em 80% dos casos, o glaucoma não apresenta sintomas. Portanto, em alguns casos, o glaucoma pode ser controlado com tratamento adequado e de forma contínua. Diagnosticar essa doença precocemente é extremamente importante, assim aumentando as hipóteses de evitar a perda da visão.

Confira agora mesmo algumas dúvidas sobre o glaucoma.

1. O que é o glaucoma? 

O glaucoma é caracterizado por uma lesão no nervo óptico, provocada principalmente pelo aumento da pressão intraocular. O nervo óptico é o responsável por levar as imagens captadas pela retina ao cérebro. Por isso, a condição compromete a visão de forma progressiva, e em alguns casos pode causar cegueira irreversível. Quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores serão as chances de se evitar a perda da visão.

2. Como faço para saber se tenho glaucoma?

Para isto, você deve consultar seu oftalmologista regularmente. Durante a consulta, o profissional realizara ou solicitará diversos exames que poderão diagnosticar o glaucoma, tais como: exame do fundo do olho, medida da pressão intraocular e exame de campo visual. Lembre-se! Muitas das vezes, a doença progride de forma tão lenta que a perda gradual da visão não é facilmente percebida. 

3. Glaucoma tem cura?

Não, mas é possível controlar a pressão intraocular e retardar a progressão da doença. O melhor tratamento é aquele que proporciona o controle da doença, ou seja, ausência de progressão. 

4. Quando se opera o glaucoma a visão pode melhorar?

A cirurgia tem como objetivo o controle da pressão interna do olho, para evitar a rápida progressão da lesão do glaucoma. Contudo, não melhora a visão que já foi afetada pela lesão do nervo óptico, ocasionada pelo glaucoma.

5. Como é feito o tratamento do glaucoma?

O Glaucoma pode ser tratado de três formas: clínica, com o uso de colírios e medicamentos que controlam a pressão intraocular, a laser, e em um procedimento chamado de trabeculoplastia, ou cirúrgica.

6. Como funciona o tratamento com colírios?

Os colírios têm um papel muito grande no tratamento do Glaucoma, tendo como função única de fazer o controle da pressão intraocular, agindo na produção do humor aquoso, ou na drenagem do mesmo. 

7. O glaucoma deixa o paciente cego?

Sim, a perda progressiva do campo de visão pode causar grandes dificuldades para perceber objetos a sua volta. O glaucoma avançado pode acometer a visão central também, podendo chegar ao ponto de perda total da visão.

8. Qualquer pessoa pode ter glaucoma?

Qualquer pessoa pode desenvolver glaucoma. Porém, algumas pessoas devem ter atenção redobrada com a doença, pois fazem parte do “grupo de risco”. Pessoas que tiveram casos de glaucoma na família, idosos acima dos 70 anos, diabéticos ou que apresentam miopia alta, devem ter uma atenção redobrada.

9. A cegueira causada pelo glaucoma é reversível?

Não, como ela se dá pela lesão que ocorre em fibras de nervos que saem da retina para o nervo óptico, não é possível recuperá-las.

10. Como o glaucoma provoca danos no nervo óptico?

Geralmente, o glaucoma está relacionado ao aumento da pressão intraocular. O globo ocular é preenchido por um gel transparente chamado de humor aquoso, que é responsável por seu formato esférico, que nutri as estruturas do fundo do olho. Assim que ele termina sua função, ele é drenado por canais que ficam próximos a íris e a pupila. Quando por algum motivo, há obstrução dos canais de drenagem, o humor aquoso fica prensado dentro do globo ocular, assim gerando o aumento da pressão, que é o que conhecemos como glaucoma.

Esclarecemos todas suas dúvidas? Nós do Instituto de Olhos da Amazônia, somos especialistas no tratamento de glaucoma. Que tal agendar sua consulta agora mesmo? Assim você pode tirar todas suas dúvidas com nossos especialistas.