Teste do olhinho: entenda sua importância

Teste do olhinho: entenda sua importância
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Logo quando um bebê nasce, é um momento de grande felicidade para a família e amigos. Apesar de já conseguir abrir os olhos, o bebê ainda não sabe usar sua visão. Da mesma forma que ele aprende a falar e andar, é só depois de um tempo que um recém-nascido desenvolve o sistema visual e passa a enxergar. Assim para garantir os olhos do bebê estejam normais, é feito o primeiro exame de vista, conhecido como teste do olhinho.

Sendo um teste totalmente conhecido, já se tornou um procedimento indispensável durante a primeira etapa dos recém-nascidos. Por isso, para você entender melhor, iremos te explicar qual a importância do teste do olhinho.

Qual é a importância do teste do olhinho?

O teste do olhinho, ou do reflexo vermelho, ainda não é uma obrigatoriedade, no entanto, as principais maternidades do Brasil já adotaram essa rotina e incluíram esse simples exame no protocolo de nascimento do bebê, a fim de detectar casos de cegueira e doenças oculares como glaucoma, catarata congênita, tumores oculares, entre outras doenças. O diagnóstico precoce possibilita o tratamento mais adequado e melhor qualidade de vida para o bebê a curto e longo prazo.

O exame é totalmente indolor e de fácil realização, leva em cerca 2 a 3 minutos. O profissional utiliza um instrumento que consiste em colocar um feixe de luz na direção do olho do bebê assim emitindo uma luz. O reflexo de uma criança com visão normal tem a coloração avermelhada, alaranjada ou amarelada, homogêneo e simétrico. Caso contrário o reflexo nos olhos não fiquem vermelho, é necessário ser avaliado mais detalhadamente por um oftalmologista.

Quando é recomendado realizar o teste do olhinho?

É recomendado que seja feito após o nascimento, dentro da sala de parto, com todos os outros exames que serão realizados no bebê após seu nascimento.

Caso não seja feito após o parto, é indicado para bebês prematuros com peso inferior a 1.5 kg e/ou que nasceram até 32 semanas. O primeiro teste do olhinho deve ser realizado entre a 4º e a 6º semana de vida do bebê. 

Quais os tipos de doenças detectadas no teste do olhinho?

Glaucoma congênita:

É uma doença caracterizada pelo aumento de pressão intraocular. Normalmente a criança com glaucoma congênita perde o brilho da região da íris e desenvolve um aumento do volume do globo ocular.

Catarata congênita:

O cristalino torna-se opaco, dificultando a visão. É a principal causa de cegueira na infância. A catarata congênita está frequentemente associada a algumas doenças genéticas, tais como galactosemia e síndrome de down. 

Retinoblastoma:

É um tumor maligno comum na infância, causado por uma mutação. É importante o acompanhamento, pois esse tumor pode não ficar restrito ao olho.

Retinopatia da prematuridade:

Nessa doença ocorre uma proliferação anormal de vasos sanguíneos da retina atingindo principalmente bebês prematuros que nascem antes de 30 semanas de gestação.

Qual é o sinal de que há algo errado com a criança ou recém-nascido?

Quando a luz refletida é esbranquiçada ou de forma diferente entre os olhos, deve-se fazer outros exames com o oftalmologista para investigar a possibilidade de problemas de visão.

Qual profissional pode fazer o teste do olhinho? 

O exame pode ser realizado por um Pediatra, porém se for identificado alguma alteração o bebê deve ser encaminhado ao oftalmologista para a realização de exames específicos. É importante frisar que o teste deve ser feito quanto antes, pois em média 60% dos casos que são detectados de imediato possuem a hipótese de cura.

Já fez o teste do olhinho no seu bebê? Não? Então entre em contato com o Instituto de Olhos da Amazônia e agende sua consulta.