Transtornos oculares comuns: quais são?

Transtornos oculares comuns: quais são?
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Sabemos que existem diversas doenças oculares, mas você já parou para analisar quais são as os transtornos da saúde ocular mais comuns?

Esse artigo tem como objetivo discorrer sobre as patologias mais comuns em consultório, e como fazer para evitá-las ou tratá-las se assim for diagnosticado previamente.

Apesar do número elevado de dificuldades que podem afetar nossa visão, temos o péssimo hábito de tomar alguma ação somente quando ela já está prejudicada de certa forma, não é mesmo?

Quais os transtornos oculares mais comuns?

Devemos ficar de olho em todo e qualquer sintoma diferente quando se trata da nossa saúde ocular. E vale ressaltar que é preciso consultar um médico oftalmologista com regularidade, e não apenas quando algum problema ou sintoma surgir.

Para iniciarmos o artigo, vamos falar sobre uma doença muito comum – a ambliopia – que também é conhecida como olho preguiçoso e trata-se de uma doença sem qualquer lesão aparente. Geralmente a doença aparece em crianças e o tratamento é bem demorado, visto que o problema pode estar na região cerebral responsável por nossa visão e engloba muitas coisas, não somente o uso exclusivo de óculos.

O acompanhamento oftalmológico é fundamental até mesmo nos primeiros anos de vida da criança, pois se a ambliopia não for tratada até os 7 ou 8 anos de idade, existe um risco grande de causar um déficit de visão que durará pela vida toda.

Os problemas causados por erros de refração também são os mais comuns ao pensarmos em doenças oculares. Os erros comuns de refração podem ser :

  • Miopia: visão distorcida para enxergar objetos distantes;
  • Hipermetropia: condição do olho em que a luz é focada na parte posterior da retina, ao invés da própria retina, fazendo com que o paciente veja objetos desfocados a curta distância, enquanto os objetos distantes são vistos normalmente.
  • Astigmatismo: visão distorcida em todas as distâncias
  • Presbiopia: ocorre entre 40 e 50 anos e causa a perda da capacidade de focalizar de perto, como a incapacidade de ler as letras de um telefone e a necessidade de manter o jornal mais longe para ver claramente;

Também existe a blefarite, essa doença nada mais é do que uma inflamação nas pálpebras. Tal inflamação e incômodo constantes podem afetar o resto do olho, portanto é fundamental tratá-la com limpezas recorrentes, compressas de água morna ou remédios receitados pelo médico.

Em pacientes que utilizam as famosas lentes de contato, usar as lentes sujas também podem causar a blefarite, então, caso o paciente use lentes, é essencial mantê-las sempre bem limpas.

O ceratocone é uma doença geralmente hereditária, que causa deformação da parte central da córnea, ou seja a superfície transparente que recobre nossos olhos, e pode se manifestar em pacientes muito alérgicos que coçam demais os olhos. Esse hábito pode fazer com que a retina fique mais elevada do que o normal..

A pessoa com ceratocone costuma ter sua visão debilitada de diversas formas: pode sofrer perda do foco, diminuição da visão noturna, sentir alta sensibilidade à luz, entre outros sintomas.

O acompanhamento médico também é fundamental, pois o ceratocone não controlado pode levar eventualmente à perda de visão.

A catarata por sua vez é uma doença já conhecida e muito comentada entre nós, e costuma-se dizer que a doença é bastante associada a idosos, pois a maioria das pessoas com mais de 70 anos de idade sofre deste problema, mas a mesma pode aparecer também em pacientes de outras idades.

A doença se caracteriza pela perda de transparência do cristalino, que é uma espécie de lente natural que temos dentro do olho. Isso ocorre lentamente e pode acontecer em somente um dos olhos primeiro, mas a tendência é que, sem tratamento, a catarata vá prejudicando a visão pouco a pouco, deixando a imagem cada vez mais embaçada.

Como solução, a cirurgia é o único tratamento eficaz contra a doença.

Outro transtorno comum dos olhos, seria o glaucoma. A doença ocorre quando a pressão normal do fluido dentro dos olhos do paciente aumenta lentamente. Com o tratamento precoce, muitas vezes o paciente pode proteger os olhos contra a perda grave da visão.

Existem duas categorias principais da doença:

  • o glaucoma de ângulo aberto: é uma condição crônica que progride lentamente por um longo período de tempo sem que a pessoa perceba a perda de visão até que a doença esteja muito avançada, por isso é considerado de “ladrão de visão”.
  • glaucoma de ângulo fechado: o fechamento do ângulo pode aparecer de repente e é doloroso. A perda visual pode progredir rapidamente; no entanto, a dor e o desconforto contínuo levam os pacientes a procurarem atendimento médico antes que ocorram danos permanentes

De qualquer maneira, não deixe de consultar o seu médico oftalmologista todo ano e fazer exames para analisar a sua saúde ocular previamente.

4.7/5 - (23 votes)